A ASSOCIAÇÃO

Associação Cultural Balaio Nordeste (ACBN) é uma Organização Sem Fins lucrativos fundada em 13 de novembro de 2008. O seu objetivo é preservar e fomentar a produção cultural e artística brasileira, especialmente a nordestina, buscando dar visibilidade aos artistas e aos conteúdos artísticos locais bem como contribuir com a formação profissional, cultural, educacional de seus associados em específico, e também do público em geral, especialmente, o infanto-juvenil por meio de cursos, ações, atividades e a promoção e organização de eventos culturais visando a divulgação e preservação a cultura popular como incremento do turismo local favorecendo assim o (re)conhecimento e o fortalecimento da cultura popular na sociedade.

 

O surgimento da ACBN deve-se a necessidade dos artistas populares terem um órgão que viabilizasse a ampliação do mercado de trabalho a partir da difusão e divulgação da música e cultura nordestina no meio social. Foi isso que levou a professora e artista Jaqueline Alves e sua mãe Joana Alves, professora e produtora cultural, juntamente com o grupo Chico Ribeiro os Cabras de Mateus a criarem um espaço de preservação e propagação da cultura autenticamente nordestina.

 

Desde 2008, trabalhamos em prol da Cultura Popular, objetivando preservar, fomentar e difundir a cultura nordestina, em especial, os ritmos tradicionais do forró, como o arrasta pé, o baião, o coco, o xote, o rojão, entre outros. Em 2010, com a aprovação, no Fundo Municipal de Cultura da Funjope, do projeto “Oficinas de acordeon” ministradas pelo Mestre Basto do Acordeom, fundamos a Escola de Música Mestre Dominguinhos visando capacitar músicos sem formação acadêmica, crianças, jovens e adultos, interessados em técnicas, teoria e prática musical, desenvolvendo conhecimentos específicos e o domínio básico da execução de instrumentos musicais que possibilitassem ao aluno expandir seus conhecimentos e entrar no mercado de trabalho na área cultural.

 

Em 2011, foram ampliadas e diversificadas as oficinas, acrescentando, ao rol de realizações, as oficinas de percussão (pandeiro), confecção de zabumba, confecção de rabeca, etc. Os cursos e oficinas são ofertados de forma gratuita e com profissionais qualificados. Outro projeto que realizamos, em 2010, foi a criação da Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste sob a regência do Maestro Lucílio Souza, originada a partir das oficinas ministradas na ONG. Entre outras ações, está a realização de eventos como “Encontro de Foles e Sanfonas”, o “Fórum Nacional de Forró de Raiz” que busca tornar o Forró como Patrimônio Imaterial do Brasil.

 

Atualmente, a Associação oferece capacitações, cursos e oficinas, eventos artístico-culturais, de lazer e entretenimento, fóruns, palestras e debates políticos-culturais, elabora materiais informativos, realiza ações culturais e educacionais, de lazer, artes e economia solidária além de publicações, parcerias por contratos, convênios, acordos, oferece assistência social e cultural e assessoria aos movimentos sociais, entes públicos e privados e desenvolve estudos, documentários e pesquisas.

 

Espaços ocupados pela Associação

 

O primeiro espaço ocupado pela Associação foi a sala nº 32 no prédio do Anexo da Associação Comercial da Paraíba. Após um ano, a Associação foi transferida para o grupo Thomaz Mindello, um espaço cedido pelo Governo, onde permaneceu dois anos. Logo depois, a Associação foi para o Casarão nº 36 no Largo São Frei Pedro Gonçalves e, após um ano, a Balaio Nordeste voltou a funcionar no anexo da Associação Comercial da Paraíba, local onde funciona até os dias atuais.

 

Fonte: Desconhecida

 

Por que Associação Cultural Balaio Nordeste?

 

O nome Associação Cultural Balaio Nordeste está relacionado a um projeto realizado, quinzenalmente, pelos seus fundadores que em conjunto faziam um evento para disseminar o forró autenticamente nordestino. Na ocasião, havia a presença de casais de bonequeiros e aquele que melhor dançasse o forró era premiado com um “balaio de cultura” contendo folhetos, discos, CD, DVD, rapadura, cachaça etc. Participaram do evento artistas como: Dominguinhos, Clã Brasil, Chico Ribeiro os Cabras de Mateus, entre outros. O nome da organização também está associado a um utensílio presente na cultura nordestina, o balaio. Assim , quando os fundadores foram registrar a Associação, o fizeram com o nome de Associação Cultural Balaio Nordeste.

INSTITUCIONAL

 

Missão: Preservar, fomentar e divulgar a produção cultural e artística brasileira, especialmente a nordestina, buscando dar visibilidade aos artistas e aos conteúdos artísticos locais bem como contribuir com a formação profissional, cultural e educacional dos associados, em específico, e do público em geral, especialmente, o infanto-juvenil visando promover a cultura popular como incremento do turismo local favorecendo assim o (re)conhecimento e o fortalecimento da cultura popular na sociedade.

 

Visão: Registrar o Forró como Patrimônio Imaterial brasileiro até 2021 e ampliar os projetos e ações até 2025.

 

Valores: Cultura, Ética, Respeito, Colaboração e Cooperação.