A entrega do título do Forró Patrimônio Cultural do Brasil tem prazo previsto para este ano e é uma grande conquista para aqueles que valorizam o ritmo que mais representa o povo nordestino, o Forró, e que  transmite os saberes e fazeres de um povo, na forma de tocar, dançar e se relacionar, tornando-se um símbolo expressivo do imaginário nordestino.

O título será entregue durante o IV Encontro Nacional de Forrozeiros que acontece,   de 13 a 17 de dezembro junto com o III Fórum Nacional do Forró de Raiz  no Espaço Cultural José Lins do Rego e na Usina Cultural Energisa. A Associação Cultural Balaio Nordeste, junto com outros órgãos e instituições pelo Brasil vêm lutando, desde 2011, para  eternizar esse ritmo nordestino como expressão cultural reconhecidamente brasileira.

 O pedido do registro do Forró como patrimônio cultural do Brasil ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan foi feito em 2011 pela Associação Cultural Balaio Nordeste. Com o pedido, foram anexados uma coletânea de livros, LPs e DVDs de forró e um documento com mais de 400 assinaturas de representantes das comunidades forrozeiras de todo o país com a solicitação de ações de sustentabilidade e salvaguarda do ritmo. 

Em 2015, a Associação junto com os participantes do Encontro Nacional para Salvaguarda das Matrizes do Forró, que ocorreu na cidade de João Pessoa, elaborou e enviou  ao Iphan uma Carta de Diretrizes para Instrução Técnica do Registro das Matrizes do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil, documento que visa orientar todo processo de pesquisa que envolverá a produção do Dossiê de patrimonialização.

Desde então,  foram realizados vários fóruns e audiências públicas por vários estados brasileiros: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo, Sergipe e no Distrito Federal.  Os encontros, fóruns e audiências têm possibilitado o diálogo entre forrozeiros de todo o país e com as instâncias governamentais e irá trazer essa grande conquista que é tornar o nosso forró patrimônio cultural do país.

 Viva o Forró, viva a cultura nordestina!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *